fbpx

10 erros na compra de uma franquia

É de conhecimento de todos que errar é humano!

Mas existem erros que podem atrapalhar o seu futuro como um franqueado de sucesso.

A notícia boa é que dá para evitar esses erros!

Iremos listar aqui alguns erros que os candidatos a franqueados podem cometer, para que você fique atento e consiga contornar essas situações!

Trouxemos a opinião de três especialistas em franquias, para esclarecer melhor as situações:

André Luís Soares Pereira, sócio-fundador do Grupo Soares Pereira & Papera e membro da comissão de fornecedores da ABF, Angelina Stockler, sócia-diretora da ba}STOCKLER,  e Miguel Barbosa, fundador da Massa Crítica Consultoria.

Confira:

1 – Não possuir conhecimento necessário para investir em um negócio

Muitas pessoas sonham com um negócio de sucesso, mas não se preocupam em se preparar corretamente para chegar a esse objetivo.

Ninguém nasce sabendo tudo, mas durante a vida, temos tempo para nos dedicar de forma que possamos aprender coisas que serão importantes para nós.

Se você almeja ter o próprio negócio, é essencial você investir um tempo em estudos que o ajudem nessa missão.

2 – Não julgar com clareza a sua própria condição financeira

O planejamento financeiro é importante para o seu negócio.

Além do valor destinado para o negócio, é preciso pensar no dinheiro direcionado para o dia a dia da sua família, principalmente no início do negócio.

Há pessoas que esquecem de considerar essas partes e, por isso, podem passar por problemas financeiros logo no início do negócio.

Por isso, seja transparente desde a ficha de pré-qualificação, onde você deve relatar a real disponibilidade de investimento.

“Avalie junto ao franqueador se o valor informado é suficiente para a implantação da franquia, considerando ainda o capital de giro necessário para os deslocamentos e hospedagens para treinamentos na sede do franqueador e suportar o período de maturação do negócio”, comenta Miguel Barbosa.

3 – Fechar negócio por impulso

 Algumas pessoas podem se emocionar e acabar agindo por impulso com o que é apresentado pela franqueadora e acabam fechando o negócio sem fazer uma análise profunda, o que é um grande erro.

Imagina se após a inauguração você descobre que o negócio não era tão bom assim?

Isso é o que ninguém quer! Portanto, faça uma pesquisa aprofundada, que envolva o segmento que pretende investir, o mercado e as informações da própria empresa.

Angelina Stockler ressalta que vale pesquisar sobre a comunicação da marca, público-alvo, tipo de suporte, perfil do franqueado de sucesso, rentabilidade, sazonalidade, tempo médio para se atingir o ponto de equilíbrio, necessidade de capital de giro e outras especificidades da operação.

“É papel do empreendedor, investigar a fundo antes de investir em qualquer franquia”, completa Angelina.

Miguel Barbosa complementa:

“Avalie se o know-how do franqueador está devidamente sintetizado em manuais e metodologias capazes de agregar valores técnicos aos franqueados e equipes funcionais das franquias, representando a segurança devida para iniciar um negócio, sem o risco de experimentações dissociadas de planejamento”.

4 – Escolher um segmento e descobrir que não gosta

“Outro erro muito comum é o candidato a franqueado escolher um segmento que não gosta, que não tem afinidade, ele vai só pelo que tem na conta bancária”, destaca André Luís da GSPP.

A soma de diversos fatores leva a escolha da franquia perfeita para o seu perfil.

Entre esses fatores estão questões que envolvem afinidade pessoal.

Seu negócio vai precisar de tempo e dedicação. Certamente ficará muito mais fácil se você estiver lidando com um ramo pelo qual você tem um interesse genuíno.

Por isso, cuidado para não cometer o erro de escolher um segmento que você não gosta!

5 – Não analisar a Circular de Oferta de Franquia (COF) e o contrato de franquias

Antes de fechar negócio, você recebe um documento chamado Circular de Oferta de Franquia (COF).

Lei das Franquias garante um tempo mínimo de dez dias para você analisar a COF e, só após isso, é realizada a assinatura do contrato.

André Luís destaca que no documento estão contidas informações importantes que permitirão analisar a empresa e identificar se essa é ou não uma boa oportunidade de negócio.

Além disso, não podemos esquecer de analisar corretamente o contrato e o pré-contrato de franquias.

Caso não compreenda o documento, você pode contar com o auxílio de um consultor jurídico.

6 – Não conversar com franqueados e ex-franqueados 

“Comprar uma franquia sem visitar várias operações e conversar com o maior número de franqueados também é bastante comum”, aponta Angelina Stockler.

Entre as informações presentes na COF estão uma relação com franqueados e ex-franqueados.

Use essas informações a seu favor! É necessário conferir se o que a empresa fala é, de fato, o que acontece na prática, para não ter surpresas negativas no futuro.

“Uma prática segura é variar, tentar buscar franqueados mais antigos e mais novos, perguntar sobre o suporte dado na implantação, os treinamentos iniciais e o suporte operacional, periodicidade e tipos, lembrando de questionar a qualidade dos mesmos”, completa Angelina.

No caso dos ex-franqueados, vale também entender o motivo da saída da franquia.

7 – Não avaliar o comportamento econômico e financeiro

“Outro erro é não avaliar o real comportamento econômico e financeiro da franquia desejada”, destaca Miguel Barbosa da Massa Crítica Consultoria.

O especialista explica alguns pontos dignos de serem analisados, como o faturamento bruto. É preciso identificar, por exemplo, se há sazonalidades reconhecidas.

Também é necessário analisar outros valores importantes envolvidos na operação de uma franquia, como o custo operacional, o investimento e o ponto de equilíbrio (Break even).

8 – Não averiguar corretamente o ponto comercial

Quando se apresenta necessidade de ponto comercial, é preciso que ele seja escolhido de forma estratégica, e não apenas levando em conta a conveniência financeira.

Um erro pode comprometer muito o desempenho do negócio e também a performance.

“É importante considerar que o ponto comercial representa o composto comercial e mercadológico que irá fortalecer a imagem da marca e o conceito do negócio na praça comercial escolhida”, diz Miguel Barbosa.

9 – Investir em franquias com produtos “da moda”

Alguns produtos são temporários, aparecem, fazem sucesso, viram moda e depois somem.

É importante ser cuidadoso para não investir nesse tipo de negócio.

Para isso, vale analisar a capacidade de inovação da rede em que você pretende investir.

Ela costuma criar novos produtos? Está pronta para se adaptar de acordo com a demanda do mercado? Investe em pesquisas?

Esses são alguns pontos importantes de serem observados antes de investir no negócio.

10 – Não fazer perguntas na hora de conversar com a franqueadora

“Ficar com medo de questionar a franqueadora durante o processo, também acontece com frequência”, aponta Angelina Stockler.

Antes de se tornar franqueado, você terá certamente a oportunidade de conversar com a franqueadora e esses momentos são importantes para você esclarecer todas as suas dúvidas sobre o negócio.

“Vale a pena também perguntar sobre os outros tipos de suporte, além dos de implantação e operações, como marketing e produto. Outra segurança é visitar a franqueadora, conhecer a estrutura e toda equipe de suporte à rede”

Fonte: matéria publicada em 10/06/2020 no site Portal do Franchising

Saiba Mais